editorial | ombudsman | debate | imprensa
mídia | cultura | perfil | nostalgia | opinião
  em tempo | olho vivo | leitor | e-mail | expediente
anteriores | próximas edições | inicial

Jogo de poderes

Vanessa Candia 

Bob Woodward (Robert Redford) e Carl Bernstein (Dustin Hoffman)Ao mesmo tempo em que a imprensa ajuda um candidato a se eleger é também motivo de chateação para muitos presidentes. Mas algumas vezes ela se torna um verdadeiro terror. Muitos casos de corrupção feitos, ou do conhecimento de presidenciáveis, já foram descobertos pela imprensa. Aqui no Brasil, no caso PC Farias, por exemplo, o repórter Roberto Cabrini descobriu o paradeiro do tesoureiro de Collor.

O caso Watergate teve início com prisão de cinco homens do Partido Democrata presos na sede do Edifício Watergate, tentando instalar aparelhos de escuta ilegal, em julho de 1972. Um série de investigações causou escândalo e a renúncia do então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon. O caso foi desvendado devido à insistência de dois jornalistas do Washington Post, Bob Woodward e Carl Bernstein.

O filme Todos os Homens do Presidente (Estados Unidos, 1976), dirigido por Alan J. Pakula, retrata toda a trajetória vivida pelos repórteres. O enredo foi adaptado do livro com o mesmo título escrito pelos próprios jornalistas. Nele, Woodward (
Robert Redford) e Bernstein (Dustin Hoffman) mostram o poder da imprensa na vida de políticos.

A película recebeu indicação para o Oscar em oito categorias, das quais conquistou quatro: Melhor Direção de Arte, Melhor Som, Melhor Ator Coadjuvante (Jason Robards, interpretando o diretor de redação Ben Bradlee) e Melhor Roteiro Adaptado. E ainda foi indicado em quatro categorias ao Globo de Ouro.

Todos os Homens é um drama político. Por isso as cenas são concentradas quase que exclusivamente nas investigações. Mas algumas cenas merecem destaques, como ângulos de uma perseguição imaginária de Woodward.

Empenho em questão

Fica em dúvida, porém, se houve tanto empenho da direção do jornal em resolver este caso somente para pôr em prática um jornalismo verdadeiro, ou por questões políticas e partidárias. No decorrer do filme, constantemente é possível observar retratos de John Kennedy nas cenas. Este era democrata, assim como demonstrava ser seu amigo íntimo Ben Bradlee, na época diretor de redação do Post

Cinco homens foram presos tentando instalar a escuta na sede dos democratas. Caso fossem pegos em outra situação e partidos opostos, é de se questionar se receberiam tanta atenção do jornal.

O filme retrata os dois repórteres como heróis - não desmerecendo o trabalho - mas os motivos que levaram a tanta investigação nunca foram levados em questão. Mesmo porque os jornalistas não usaram de muita ética, nem respeitaram suas fontes - sendo a principal apelidada de "Garganta Profunda", esta sim respeitada e não identificada até hoje -, que muitas vezes foram coagidas e vítimas de blefes para que pudessem fornecer as informações.

A cena marcante do filme passa quando, em novembro de 1972, o esquema é finalmente descoberto. No segundo plano, os dois jornalistas estão escrevendo. Enquanto isso, em primeiro plano, na televisão, o presidente comemora sua vitória à reeleição, mal sabendo que sua renúncia estava próxima (um ano e alguns meses).

A imprensa coloca no poder. A imprensa tira do poder. Tudo depende do interesse de cada veículo. Quanto maior a credibilidade, maior influência, maior o perigo. Um jogo. De poderes.

Ficha técnica:
Título Original:
All the President's Men
Gênero: Drama 
Tempo de Duração: 138 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1976
Estúdio: Warner Bros. / Willwood
Distribuição: Warner Bros.
Direção: Alan J. Pakula
Roteiro: William Goldman, baseado em livro de Bob Woodward e Carl Bernstein
Produção: Walter Coblenz
Música: David Shire
Direção de Fotografia: Gordon Willis
Desenho de Produção: George Jenkins
Edição: Robert L. Wolfe

Elenco:
Robert Redford (Bob Woodward)
Dustin Hoffman (Carl Bernstein)
Jason Robards (Ben Bradlee)
Jack Warden (Harry M. Rosenfeld)
Martin Balsam (Howard Simons)
Hal Holbrook (Garganta Profunda)
Meredith Baxter (Debbie Sloan)
Ned Beatty (Dardis)
Stephen Collins (Hugh W. Sloan Jr.)
Penny Fuller (Sally Aiken)
Robert Walden (Donald Segretti)


                    

criação: lisandro staut