ABJ Notícias    |    TV ABJ    |    O Parcial
 
home |
      Reportagem    
     

Lei de Imprensa

   
     

A Lei de Imprensa foi criada durante o período de ditadura do Brasil e rege a profissão de jornalista por quatro décadas. Por isso, em muitos de seus artigos contradiz a liberdade de expressão defendida pela Constituição de 1988. O STF suspendeu 20 dos 77 artigos da Lei. No entanto, como a medida foi provisória, os jornalistas se preocupam com o futuro da profissão. A mudança afetaria as universidades? Se o exercício do jornalismo não exigir diploma, como empregar os alunos que se formam a cada ano? Aumentar o nível de ensino?


   
     
   
     
Além dos fatos
ALÉM DOS FATOS
Calem os anarquistas!
Entrou na arena, tem que apanhar
IMPRESSO EM FOCO
o que aconteceria se...
Veja não sabe comemorar
...a Lei fosse abolida?
   
 
 
 

Ditadura

 

Proposta

 

Igreja Universal

 
 

Calem os anarquistas!

 

Sucata do autoritarismo

 

Entrou na arena, tem que apanhar

 
 

Rogério Cardoso

 

Carina Bentlin

 

Cristiane Lüscher

 
 
 

Veja

 

época

 

IstoÉ

 
 

Veja não sabe comemorar

 

Foi-se a época...

 

O posicionamento da IstoÉ

 
 

Moabe Giudice

 

Priscila Baracho

 

Denys Borguête

 
             
 

Estadão

 

Folha

 

Revista imprensa

 
 

Jornalismo desalmado

 

A Lei na Folha

 

Imprensa receosa

 
 

Anita Leite

 

Isis Ribeiro

 

Luzia Paula

 

Atalho para censura

Francisco José Karam é mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo. Atua como professor de Legislação e Ética em Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Autor dos livros “A Ética Jornalística e o Interesse Público” e “Jornalismo, Ética e Liberdade”, ambos publicados pela editora Summus.

"Acho que a Lei de Imprensa de 67 está superada e equivocada. Mas acredito que uma nova, que defina com clareza o direito de resposta e o agilize seria interessante".

  Senado aprova criação da EBC  
  LA Times demite mais funcionários  
  Jornalista demitido por causa de blog  
 

Nassif acusa Veja de "pior exemplo de jornalismo"

 
 

Seminários elaboram propostas de atualização

 
 

Instituição filantrópica promove curso de Assessoria

 
 

Concurso Museu da Imprensa 2008 incentiva pesquisa e visitação

 
 

Encontro Nacional de Professores discute propostas da Fenaj e FNPJ

 
 
  identidade  
 

"Liberdade" que proíbe

 
 

Miro Teixeira é formado em Direito e Jornalismo, já foi ministro das Comu-nicações e agora é deputado federal pelo PDT-RJ. Ele foi o responsável por encaminhar ao Senado um pedido para que a Lei de Imprensa seja revogada.

 
   
filme Livro
 

Quem é essa mulher?

 
 
 
   
 

Campo minado

 
 
 
   
 
 
  Em sua opinião, a Lei de Imprensa:
 
 

Deveria ser mantida, sem alterações;
Deveria sofrer mudanças apenas em alguns artigos;
Deveria ser totalmente reformulada;
Não deveria existir.

Anseio de muitos jornalistas, pesadelo de tantos outros. A próxima edição do Canal trata exclusivamente sobre jornalismo policial. Uma editoria repleta de atalhos e surpresas a cada passo da apuração. Como os principais repórteres lidam com suas fontes, qual a proteção que ambos têm na hora de denunciar um caso... Esses e outros temas serão abordados em 15 dias, numa edição que não vai pingar sangue, mas informação com responsabilidade. Até lá!

 
 
  Após uma edição comemo- rativa da sétima arte, o Canal arregaça as mangas para dar linha à segunda edição do ano. Deixando de lado os funcionários da Agência Bra- sileira de Jornalismo (a qual o Canal pertence), os alunos do curso de Jornalismo voltam a todo vapor para explorar o comportamento midiático ante o anúncio de revogação da Lei de Impren- sa. Analisamos como os prin- cipais veículos de comunica- ção reagiram a essa notícia e como informaram você, leitor, a esse respeito”.  
 

 
 
 

Cadastre seu e-mail e receba as últimas informações do Canal da Imprensa.

 
 
 
 
 

O assunto para discussão no Sala de Debates é o humor no jornalismo. Nossa proble- mática é a seguinte: Quais são os limites do humor no jornalismo? Será que há ocasiões em que as críticas extrapolam a ética profis- sional? Participe do nosso debate. Queremos diálogo.

 

 

 
 
 

De tudo que li sobra-me apenas o prazer de co- mentar o brilhantismo de toda a escrita. A pertinência, sensatez, a fina ironia e o humor inteligente. O verda- deiro embasamento. O fato incontestável de que o ma- terial estampado durante estas duas semanas, serviu completamente ao objetivo proposto por este veículo”.

 
   
   
 

...a Lei fosse abolida?

"Ele abre os olhos e já tem uma certeza: não tem mais o direito de manifestar seu pensamento e difundir informações em qualquer meio de comunicação social. Que incerteza de atitudes! O que fazer: ficar em casa e ler o jornal que pouco ou nada crítica ou ir para a redação e pouco ou nada criticar? Vai para a redação porque isso garante o pão na mesa."

 
"A essência da imprensa livre é a essência característica, razoável e ética da liberdade. O caráter de uma imprensa censurada é a falta de caráter da não-liberdade".
 

Karl Marx