ABJ Notícias    |    TV ABJ    |    O Parcial
 
home |
      Reportagem    
     

Oscar da Imprensa

   
      O site da campanha Pirataria: tô fora!, desenvolvida pelo Sindireceita em conjunto com o Ministério da Justiça, esclarece que o crime de pirataria corresponde a qualquer violação dos direitos de criação. "É uma atividade ilegal que causa prejuízos crescentes à economia, à geração de empregos e, principalmente, prejuízos aos consumidores". De acordo com os dados expostos no site, a prática da pirataria atualmente contabiliza mais lucros e mais movimentação financeira em todo o mundo que o narcotráfico, conforme dados da Interpol.

   
     
   
 
 
 

Hunting party

 

O preÇo da coragem

 

Jogos do Poder

 
 

O mercado é o que as universidades formam

 

Os fronts de guerra

 

Guerras estúpidas

 
 

Márcio Tonetti

 

Carlos Henrique Nunes

 

Tales Tomaz

 
             
 

O dia em que meus pais saíram de férias

 

O suspeito

 

O Escafandro e a borboleta

 
 

Superação infantil

 

Cicatriz indigesta

 

Vida de borboleta

 
 

Cígredy Neves

 

Cristiane Lüscher

 

Rosemeire Braga

 
             
 

Caçador de pipas

 

Nação fast food

 

Conduta de risco

 
 

Um clássico no cinema

 

O sabor do desconhecido

 

Ética fictícia

 
  Matheus Siqueira  

Jefferson Paradello

  Priscilla Stehling  

O cinema do copyleft

Sérgio Branco é doutorando em Direito Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Leciona na Escola de Direito da FGV, onde também é membro do Centro de Tecnologia e Sociedade. Atuou como Procurador-Chefe do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação - ITI. Autor do livro "Direitos Autorais na Internet e o Uso de Obras Alheias".

"As pessoas entendem a pirataria como um fenômeno isolado, mas essa é a pior forma de abordar o problema."


  NBC comete gafe com candidato à presidência  
 

Imprensa poderá ter acesso a escutas telefônicas

 
  Adaptador sem bloqueador de cópia pode baratear custo da TV Digital  
  Abraji e ONGs  pretendem alertar OEA  sobre abusos contra imprensa  
  Lei de Imprensa reformulada  
 

Indenização recorde por danos morais atinge Gazeta do Povo

 
 

Seminário de Mídias Nativas discute democracia digital

 
 

Prêmio motiva discussões sobre meio ambiente

 
 

Instituto de Estudos de Televisão promove curso de TV digital

 
 

Projeto Repórter do Futuro complementa universitário

 
 

Participe como nosso jurado. Escolha a melhor resenha desta edição.

 
 

Hunting party
O preço da coragem
Jogos do poder
O dia em que meus pais saíram de férias
O suspeito
O Escafandro e a borboleta
Caçador de pipas
Nação fast food
Conduta de risco

Em 2008 o Canal promete... e cumpre é claro. Voltamos com todo o vapor e vamos direto na próxima edição para a Lei de Imprensa. Analisamos a história, a Constituição de 1988, a proposta de Miro Teixeira e muito mais. Os nossos novos elementos e as surpresas que preparamos para esse ano são imperdíveis! Temos encontro marcado para daqui 15 dias. Até lá!

 
 
  Luz, câmera, ação!!! Começa- mos 2008 estendendo o ta- pete vermelho porque nessa edição o glamour impera. Convidamos os artistas da ABJ para montarem a galeria de "Indicados ao Oscar". Seria clichê dizer que a edição está caprichada.  
 

 
 
 

Cadastre seu e-mail e receba as últimas informações do Canal da Imprensa.

 
 
 
 
 

O artigo "Estado laico", de Alberto Dines, causou muita polêmica entre aqueles que defendem o Estado laico e os ultraconservadores, fanáticos religiosos, amantes da inquisi- ção, saudosistas da união Estado-igreja. Leia e opine.

 

 

 
 
 

"Cá estou nova- mente. E não ve- nho só! Trago comigo uma sacola de boa vontade, uma bolsa cheia de constatações pertinentes, uma frasqueira com questio- namentos necessários, uma garrafa PET de sensatez..."

 
   
   
 

...o cinema brasileiro ultrapassasse Hollywood?

"A produção cinematográfica do Brasil ganhou status, importância e, principalmen- te, dinheiro. Alguns críticos de cinema yankees até tenta- ram conter o avanço da "onda verde e amarela", mas a qua- lidade dos roteiros emocionou corações ao redor do planeta e encheu os bolsos de produtoras, distribuidoras e vendedores ambulantes."

 
"O cinema brasileiro é feito com dinheiro públi- co. Com o dinheiro de um curta se fazem quatro casas populares, com o dinheiro de um longa dá para fazer um hospital. Cinema, no Brasil, é feito para os ricos com dinheiro dos pobres."
 

Jorge Furtado